Autoajuda

Resenha : O Poder da Autorresponsabilidade, de Paulo Vieira

O Poder da Autorresponsabilidade, de Paulo Vieira

O que você vai aprender com “O Poder da Autorresponsabilidade”?

O principal tema a ser abordado por Paulo Vieira é: como ser uma pessoa com consciência de sua responsabilidade em sua vida pode te tornar:

  • Uma pessoa bem sucedida
  • Uma pessoa mais feliz
  • Uma pessoa com uma vida baseada em alta performance

Segundo o autor, os conceitos para viver com a autorresponsabilidade são estruturados por seis principais hábitos, que já foram mencionados em outros livros do autor:

  1. Calar-se ao invés de criticar:
    Você já parou para pensar quanto tempo gastamos criticando outras pessoas, ou suas atitudes? Até mesmo situações são alvos de nossas críticas diárias, que, infelizmente, de nada edificam ou alteram as situações.
    Pualo Vieira abordou no livro “O poder da autorresponsabilidade” o quão importante é permanecer em silêncio, quando se pretende criticar. 
  2. Dar sugestão ao invés de reclamar:
    Semelhante ao primeiro hábito, dar uma boa sugestão ao invés de reclamar é uma atitude que gera menos frustrações, poupa tempo e leva as pessoas à soluções rápidas. Em situações de problemas ou erros, de nada adianta reclamar, afinal, são palavras vazias e sem conteúdo positivo. Paulo Vieira nos mostra que se pararmos de proferir reclamações, e trocarmos elas pelas sugestões, podemos nos tornar pessoas mais eficientes.
  3. Buscar a solução ao invés de buscar os culpados:
    Em qualquer situação problema, é comum que nos perguntemos “Mas… quem é o culpado por isto?”. A verdade é que saber quem errou não adianta nada, gera conflitos desnecessários e faz com que percamos o foco da solução.
  4. Fazer-se de vencedor, ao invés de vitimizar-se:
    Muitas vezes é bom para o ego humano permanecer no papel de vítima, afinal, quando uma suposta situação ruim nos acomete, recebemos o apoio de diversas pessoas solidarizando-se conosco. Mas, quando esta posição se torna um hábito, pode levar o indivíduo à ruína. Fazer-se de vencedor gera maior segurança em si mesmo, e em suas ações.
  5. Aprender com os erros ao invés de justificá-los:
    Justificar os erros cria barreiras para o seu aprendizado. É como se você se esquivasse de absorver os ensinamentos que seu erro lhe proporcionou. Segundo Paulo Vieira, a melhor maneira de cumprir este hábito é admitir que errou, compreender onde foi que errou e aprender o que não deve ser repetido no futuro. 
  6. Julgar as atitudes, não as pessoas:
    As pessoas estão em constante mutação, e assim como todo ser humano, são passíveis de cometer erros. Você já imaginou um mundo onde os erros não fossem perdoados? Certamente estaríamos todos perdidos. Portanto, precisamos praticar a empatia e, se formos julgar, precisamos julgar apenas as atitudes – e não as pessoas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *