Educação, Referência e Didáticos

O Cérebro com Foco e Disciplina – Renato Alves

O Cérebro com Foco e Disciplina – Renato Alves

O que você vai aprender?

Os assuntos não são nada novos, tendo sido abordados por outros livros e autores. O diferencial do livro de Renato Alves é que apresenta conselhos em linguagem fácil e acessível sobre como melhorar sua memorização e obter com isso, melhores resultados de suas tarefas cotidianas. O autor começa explicando os motivos pelos quais a humanidade passa por uma fase de baixa concentração como a de agora: com as centenas de estímulos vindos de todos os lados e tentando nos passar todos os tipos de informações, fica difícil se concentrar em apenas uma coisa e manter a disciplina necessária para realizar uma tarefa. Isso gera frustração e estresse que, por vez, afetam nossa memória e concentração, criando um ciclo vicioso que parece não ter fim.

Soluções apresentadas pelo livro

O autor defende ainda que problemas interpessoais e familiares podem ser fruto das constantes novas tecnologias e redes sociais que nascem e morrem e às vezes nem ficamos sabendo. Tudo isso afeta seriamente o nosso desempenho mental e como o cérebro é quem coordena o corpo, isso acaba nos afetando fisicamente também. 

Disciplina é um dos principais tópicos abordados e tratados pelo autor e o mesmo diz que para ser produtivo é fundamental ter controle de nossa mente, pensamentos e ações. Ao longo dos capítulos, o autor aborda onze princípios/comportamentos que o leitor deve seguir e adotar a fim de encontrar a paz mental, melhorar seu foco, concentração e memória. São eles: evite fazer comparações, faça sua parte sem ficar sempre esperando algo em troca, seja humilde a fim de alcançar suas realizações pessoais, saber como receber críticas – de todos os tipos -, não seja crítico você mesmo, não julgue, seja capaz de receber conselhos dos outros, não dê conselhos, faça declarações positivas, busque falar menos e refletir mais e, por último, na medida do possível fale sempre a verdade. 

Não se deixe enganar pelo “dizer a verdade na medida do possível”, o autor deixa bem claro que mentir nunca é aceitável e que nos enganamos achando que uma mentira branca, daquelas “inocentes” que contamos para nossos familiares, pode ser benéfica. O que sentimos quando falamos esse tipo de mentira é apenas um “tapa buraco”, segundo o autor, mas essas mentiras não se sustentam e eventualmente a casa cai. Outro tópico interessante abordado pelo autor é que precisamos valorizar mais o que somos e não o que temos. O autor usa o exemplo de uma mulher bem sucedida para deixar bem claro como a obsessão com a imagem que projetamos para o mundo pode acabar interferindo com quem realmente somos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *